Uma nova bateria desenvolvida pela montadora japonesa Nissan em parceria com a NASA é mais leve, segura e rápida de carregar, prometendo “mudar o mundo” nas regras de carregamento para veículos elétricos. A aposta depende de um método computacional para desenvolver uma tecnologia que não dependa de metais raros ou caros, de acordo com um relatório da CBS divulgado na sexta-feira.

De acordo com a Nissan, “estáveis ​​o suficiente para serem usadas em marca-passos”, as baterias de estado sólido substituirão as atuais baterias de íons de lítio até 2028, promete.

Quando eles começarem a produção na planta piloto prometida para 2024, a bateria revolucionária terá metade do tamanho das baterias atuais e será totalmente carregada em 15 minutos, em vez das horas que leva hoje.

Como é a parceria entre Nissan e NASA

Em uma coletiva de imprensa na sexta-feira, o vice-presidente da Nissan, Kazuhiro Doi, disse à mídia que a parceria entre Nissan e NASA, além da Universidade da Califórnia em San Diego envolve o teste de vários materiais.

A Nissan disse que as duas empresas colaboradoras criarão uma “plataforma de computação de matérias-primas”, que nada mais é do que um grande banco de dados de computador que pode misturar centenas de milhares de materiais para entender suas propriedades potenciais.

Ao eliminar a ideia de metais raros ou caros, como cobalto e níquel, as novas baterias podem ter cadeias de suprimentos mais limpas e éticas, além de preços mais baixos.