Caminhão elétrico XCMG Hanvan E700 começa a ser usado para transporte de cargas do Mercado Livre

Caminhão elétrico XCMG Hanvan E700 começa a ser usado para transporte de cargas do Mercado Livre Fonte: XCMG/Divulgação

O caminhão elétrico Hanvan E700 da XCMG, com autonomia de 140 km, potência de 490 cv e frenagem regenerativa, começou a ser utilizado pelo Grupo Maroni Brasil para transportar cargas do Mercado Livre.

Publicidade

O revolucionário caminhão elétrico Hanvan E700 da XCMG, marca chinesa conhecida pelos guindastes e maquinários de construção, começa a operar no Brasil. O Grupo Maroni Brasil utilizará o veículo para transportar cargas do Mercado Livre, trazendo uma nova perspectiva para o transporte rodoviário no país.

Desempenho e autonomia do caminhão elétrico

Equipado com potentes baterias de fosfato de ferro lítio, que possuem 282 kWh de capacidade, o caminhão elétrico Hanvan E700 oferece uma autonomia de aproximadamente 140 quilômetros. Além disso, o veículo conta com uma potência de 360 kW (490 cv), garantindo um desempenho eficiente.

Publicidade

Outro recurso notável do Hanvan E700 é seu sistema de frenagem regenerativa. Essa tecnologia permite a recarga das baterias em descidas íngremes, atuando como um freio motor adicional.

A adoção de caminhões elétricos como o Hanvan E700 contribui significativamente para a redução das emissões de gases poluentes, proporcionando um transporte de cargas mais limpo e sustentável. Além de diminuir a dependência de combustíveis fósseis, o uso de veículos elétricos no setor de transporte também auxilia na redução do efeito estufa e na melhoria da qualidade do ar nas cidades. Essa mudança pode ter um impacto positivo, tanto na saúde da população como na preservação do meio ambiente, uma vez que colabora com os esforços globais para mitigar as mudanças climáticas.

Publicidade
Caminhão elétrico XCMG Hanvan E700 começa a ser usado para transporte de cargas do Mercado Livre no Brasil
Hanvan E700 do Grupo Maroni (Fonte: Blog do Caminhoneiro/Reprodução)

Economia e sustentabilidade no abastecimento

Com o preço médio do kWh no Brasil girando em torno de R$ 0,45, o caminhão elétrico pode ser totalmente carregado com apenas R$ 126,00. Essa cifra pode ser ainda menor se considerarmos o uso de energia proveniente de fontes renováveis, como a solar e eólica.

LEIA TAMBÉM:  O Fiat Uno, um carro muito amado no Brasil, está retornando em 2024, mas vem como um moderno veículo elétrico e com o nome de um animal fofinho

O tempo de recarga das baterias varia de acordo com o método utilizado. Em modo rápido, o processo leva cerca de duas horas. Já utilizando um carregador conectado a uma tomada comum, o tempo de recarga pode chegar a 35 horas.

Publicidade

Investimento e perspectivas para o mercado

O preço do caminhão elétrico Hanvan E700, segundo a fabricante, fica em torno de US$ 310 mil, ou R$ 1,5 milhão, sem incluir os impostos de importação praticados no Brasil. A chegada desse veículo elétrico ao mercado brasileiro indica uma crescente preocupação com a sustentabilidade e a busca por soluções mais econômicas e ecológicas no setor de transporte.

A crescente demanda por caminhões elétricos como o Hanvan E700 estimula o desenvolvimento de uma infraestrutura elétrica mais robusta e eficiente no país. Isso inclui a expansão da rede de carregadores rápidos e a implementação de sistemas de energia renovável, como a solar e eólica, para abastecer os veículos elétricos. Essa tendência também impulsiona a inovação na indústria automobilística, incentivando fabricantes a investir em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e soluções para melhorar a autonomia, desempenho e eficiência energética dos veículos elétricos, tornando-os cada vez mais competitivos e acessíveis no mercado de transporte.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *