KAIST cria bateria de sódio que recarrega em segundos e dura mais

KAIST cria bateria de sódio que recarrega em segundos e dura mais Foto: KAIST / Divulgação
Publicidade

As inovações em tecnologia de armazenamento de energia estão acelerando, e uma das promessas mais empolgantes vem do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul (KAIST). Pesquisadores desenvolveram uma nova bateria de sódio que não só recarrega em segundos, mas também promete uma durabilidade surpreendentemente longa.

A bateria de sódio não é uma novidade, mas a abordagem do KAIST traz uma série de melhorias significativas que podem alterar o panorama das tecnologias de armazenamento de energia. O sódio, diferentemente do lítio, é abundante e pode ser extraído de fontes como a água do mar, o que o torna consideravelmente mais acessível e menos oneroso.

Publicidade

A equipe do professor Jeung Ku Kang superou desafios anteriores relacionados a baterias de sódio — como a baixa densidade de energia e velocidade de recarga lenta — através de um design híbrido inovador.

Eles combinaram materiais anódicos usados tradicionalmente em baterias com cátodos de supercapacitores, alcançando uma recarga extraordinariamente rápida e capacidades de armazenamento elevadas.

Publicidade

A nova bateria demonstrou uma densidade de energia de 247 Wh/kg e uma impressionante densidade de potência de 34.748 W/kg

Tais números não apenas superam as baterias de íon de lítio existentes, mas também facilitam recargas até 100 vezes mais rápidas. Imagine carregar o smartphone ou o veículo elétrico em minutos, ao invés de horas, com a garantia de uma eficiência quase total mesmo após 5.000 ciclos de carga e descarga.

LEIA TAMBÉM:  Conheça a Sea Bike: A bicicleta subaquática que promete velocidade sobre-humana

Este avanço é particularmente promissor para aplicações que exigem rápida disponibilidade de energia, como em veículos elétricos e dispositivos eletrônicos portáteis. A robustez e a durabilidade da nova bateria também a tornam ideal para aplicações aeroespaciais, onde tanto a confiabilidade quanto a eficiência são críticas.

Publicidade

Impacto ambiental e econômico

A transição para baterias de sódio pode ter um impacto significativo no custo de baterias, tornando tecnologias dependentes de armazenamento de energia mais acessíveis e sustentáveis. Além do benefício evidente na redução da dependência de lítio, que é mais caro e menos abundante, a utilização de sódio pode diminuir o impacto ambiental associado à mineração de lítio.

Com a capacidade de recarga rápida e alta eficiência, a nova bateria de sódio da KAIST que recarrega em segundos se apresenta como uma solução viável para o crescente demanda por soluções de energia eficientes e sustentáveis.

Embora ainda esteja em escala de laboratório, o progresso desta tecnologia sugere um futuro brilhante para as baterias de sódio. Continuaremos a observar de perto o desenvolvimento dessas baterias, antecipando o impacto que poderão ter em nossas vidas e no ambiente.

Mantendo a perspectiva de que cada avanço tecnológico nos aproxima de um mundo mais energicamente eficiente e menos dependente de recursos finitos.

Avanços em baterias quânticas no Japão

Em um desenvolvimento notável no campo da tecnologia de baterias, pesquisadores no Japão criaram uma bateria quântica que redefine os limites do carregamento rápido. Prometendo tempos de recarga de menos de 10 segundos, esta nova bateria não só supera em velocidade as tecnologias existentes, mas também oferece maior durabilidade e eficiência energética.

LEIA TAMBÉM:  Nova bateria brasileira, mais leve e mais segura para dispositivos eletrônicos e veículos elétricos

O princípio operacional dessa bateria é baseado na superposição quântica, permitindo que estados de carga e descarga coexistam simultaneamente. Esse avanço pode transformar o uso de dispositivos eletrônicos e veículos elétricos, facilitando carregamentos ultrarrápidos sem comprometer a capacidade de armazenamento de energia ou a longevidade do dispositivo.

A promessa de uma revolução no armazenamento de energia parece estar ao alcance graças a esses esforços contínuos no Japão.

Além de revolucionar a forma como carregamos nossos dispositivos, a introdução da bateria quântica no Japão também promete melhorias significativas na gestão de energia para redes elétricas e tecnologias renováveis.

Com a capacidade de lidar com altas demandas de energia em curtos períodos de tempo, essa inovação pode ser a chave para uma maior integração de fontes de energia intermitentes como solar e eólica, estabilizando as redes elétricas e promovendo uma transição mais suave para energias limpas e sustentáveis.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Ana Paula Araújo
Ana Paula Araújo

Ana Paula Araújo escreve no Cultura Ambiental nas Escolas sobre meio ambiente, sustentabilidade, energias renováveis e suas implicações, veículos elétricos e as principais novidades do setor.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *