O ambicioso projeto de transferência de Água da China pode ser uma solução, mas há controvérsias

O ambicioso projeto de transferência de Água da China pode ser uma solução, mas há controvérsias Imagem de drone mostra rio quase seco na China (Fonte: G1)

Toda população do norte da china, representando quase 50% dos chineses, dispõem de apenas 20% de toda a água do país.

Publicidade

Em meio a sua mais aguda falta de água em décadas, a China enfrenta um cenário hídrico preocupante. Grandes reservatórios do país estão se esgotando, ampliando a crise hídrica já instável.

A principal razão para essa situação é o consumo exorbitante de água pela indústria agrícola, que consome cerca de 62% dos recursos hídricos disponíveis. Somando-se à complexidade, uma seca devastadora, a pior que o país enfrenta em mais de 60 anos, vem agravando o abastecimento de água.

Publicidade

Enquanto isso, os recursos hídricos do país estão distribuídos de forma desigual. O norte, onde vive quase metade da população, dispõe de apenas 20% da água, exacerbando a crise. Esta disparidade aponta para a necessidade urgente de soluções inovadoras como a transferência de águas da região sul para o norte do país.

Conheça melhor o projeto de transferência de Água Norte-Sul na China

Para abordar a problemática, o governo chinês formulou um projeto ambicioso de 60 bilhões de dólares. O objetivo é redistribuir a água do sul úmido para o norte árido do país, uma tarefa monumental. O projeto é composto de três rotas principais:

Publicidade
  • Rota Leste: Estende-se por mais de 1.200 km e desviará água do rio Yangtzé para o rio Amarelo.
  • Rota Central: Cobrindo mais de 800 km, consiste em uma série de canais e reservatórios projetados para transportar água do rio Han para o rio Hai.
  • Rota Oeste: A mais complexa e cara, planeja conectar os rios Yangtzé e Amarelo, com a possibilidade de deslocar mais de 600 bilhões de galões de água.
LEIA TAMBÉM:  Emissões de CO2 relacionadas à geração de energia batem recorde em 2023, apesar do avanço das energias limpas

As três rotas estão projetadas para funcionar em conjunto, visando uma transferência eficaz de água para mitigar a falta de água no norte da China.

Controvérsias e implicações a longo prazo

Apesar de seu imenso escopo, o projeto é objeto de debate intenso. Críticos questionam, sobretudo, o alto custo do empreendimento. Eles argumentam que os fundos poderiam ser melhor aplicados em melhorias na infraestrutura hídrica existente e em práticas de gestão de água mais sustentáveis.

Publicidade

De acordo com os especialistas, isso poderia, teoricamente, aliviar as causas subjacentes da crise hídrica sem necessidade de um projeto tão grande.

O aspecto ambiental também não pode ser negligenciado. Embora o governo afirme que o projeto é ecologicamente responsável, há preocupações legítimas sobre os possíveis danos ambientais causados pela construção, particularmente na rota Oeste.

Enquanto a China intensifica seus esforços para mitigar a seca e a crise hídrica, o Projeto de Transferência de Água Norte-Sul permanece como um tópico divisivo. Os benefícios a longo prazo ainda precisam ser avaliados completamente, mas já há indícios de que o projeto está beneficiando milhões.

O equilíbrio entre os benefícios e os riscos associados será crucial para determinar se esta é realmente a solução para um dos problemas mais prementes da China.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *