Ponto mais profundo do oceano Antártico mapeado foi detalhado foi mais detalhes

Escrito por Bruno Teles

Um novo projeto, revelado na revista Scientific Data, mostrou que o ponto mais profundo do oceano Antártico está sendo mapeado com riqueza de detalhes. Conhecida como Fatorial Deep, esta trincheira tem cerca de 7.433 metros de profundidade, e está na área de toda a Antártida.

Sendo assim, os resultados cobrem uma área total de 48 milhões de quilômetros quadrados. Para ter uma noção do tamanho, a área é 5 vezes maior que o Canadá. Neste sentido, os cientistas disponibilizaram um mapa para visualização do Oceano Antártico, confira clicando aqui.

PARA VOCÊ:
Como a carne bovina cultivada em laboratório pode melhorar seu hábito de comer carne para o planeta

Por lá, é possível avistar os arredores do oceano Antártico, como vales, montes, montanhas e outros pontos nunca vistos antes. Ademais, é claro que o ponto mais profundo, o Factorian Depp, não poderia estar de fora. Aliás, ele fica localizado na Fossa Sandwich do Sul, uma parte remota da Antártida. 

Ponto mais profundo do oceano Antártico
Ponto mais profundo do oceano Antártico (Reprodução: divulgação)

Oceano Antártico: os detalhes não revelados da sua dimensão

Em um primeiro momento, o Factorian Deep já havia sido explorado. Em 2019, uma  expedição conhecida como Five Deeps, buscou encontrar respostas para esta parte tão profunda. Aliás, Victor Vescovo, criador do projeto, se tornou a primeira pessoa a chegar ao fundo do Oceano Antártico.

PARA VOCÊ:
A automação constrói reservatórios de torre de gelo maiores e melhores para agricultura alta e seca

Neste sentido, podemos dizer que o Oceano Antártico já é explorado há algum tempo. Isso porque diversos satélites monitoram a área há bastante tempo, entretanto, as imagens não são nítidas o suficiente para oferecer detalhes, o que dificulta o mapeamento dessa parte do mar.

Neste último projeto, a equipe coletou dados de uma ecossonda multifeixe, que foram feitas no Oceano Antártico por uma série de navios de pesquisa, como o Polarstern, por exemplo. Assim, desde 2018 que a área está sendo explorada a fim de fornecer dados sobre a sua composição, o que pode ajudar a comunidade científica.

PARA VOCÊ:
Green Eletron em parceria com a GM&C criam projeto de coleta de lixo eletrônico a domicílio

Por fim, o projeto é importante, pois o mapeamento do Oceano Antártico é uma peça crucial para entender essa região vital da terra. Além disso, as águas da Antártida possuem uma enorme biodiversidade, boa parte desconhecida, que pode dar informações valiosas sobre a história geológica do nosso planeta.

Artigos relacionados