Brasil entra no Top 10 dos maiores produtores de energia solar do mundo, aponta Agência Internacional de Energia Renovável

Brasil entra no Top 10 dos maiores produtores de energia solar do mundo, aponta IRENA Fonte da imagem: Encyclopedia Britannica/Reprodução

Investimentos crescentes e foco em energia renovável impulsionam o país ao oitavo lugar no ranking global de produção de energia solar

Publicidade

O Brasil alcançou um marco histórico ao se tornar o oitavo maior produtor mundial de energia solar, segundo dados divulgados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA). Esta conquista coloca o país no Top 10 global pela primeira vez, superando nações como Holanda e Coreia do Sul.

Com 24 GW de potência instalada, o Brasil se posiciona atrás de potências como Estados Unidos, Japão, Alemanha, Índia, Austrália, Itália e China. Este avanço é resultado dos expressivos investimentos que o setor vem recebendo nos últimos anos, conforme aponta Cristiana Nepomuceno, advogada e sócia da Nepomuceno Soares Advogados Associados, com informações do site www.terra.com.br.

Publicidade

Em 2022, os investimentos em energia solar no Brasil aumentaram cerca de 50% em comparação ao ano anterior, totalizando mais de R$ 60 bilhões em sistemas de geração de energia. Essa expansão ajudou o país a subir cinco posições no ranking global em apenas um ano, saindo da 13ª posição em 2021.

LEIA TAMBÉM:  GDF revoluciona com primeira usina fotovoltaica pública do Distrito Federal

Nepomuceno destaca que “a energia solar é cada vez mais percebida como uma fonte de energia renovável viável”, o que tem impulsionado o mercado a investir na produção de energia fotovoltaica. A tendência de crescimento nos investimentos deve se manter nos próximos anos, especialmente em telhados solares para uso comercial e residencial.

Publicidade

Além disso, a advogada ressalta que a energia solar contribui para o crescimento de setores voltados à preservação do meio ambiente, como a produção de hidrogênio verde. O uso de fontes renováveis, como a solar, pode ajudar a atingir metas ambientais, como a redução da emissão de dióxido de carbono (CO2), um dos principais responsáveis pelo aquecimento global. Nesse contexto, o hidrogênio verde surge como um subproduto do processo de produção de energia fotovoltaica.

Parceria entre BN Engenharia e Motrice Soluções vence concurso para construir usinas solares e alavancar ainda mais a produção de energia solar no Brasil

O Brasil, que recentemente alcançou a posição de oitavo maior produtor mundial de energia solar, segundo a IRENA, continua expandindo seu setor de energia fotovoltaica. A BN Engenharia e a Motrice Soluções em Energia formaram uma parceria de sucesso e venceram o disputado concurso para a construção de dois novos complexos de usinas solares, reforçando o crescente interesse e investimento no segmento.

Publicidade

Com um investimento total de R$ 2,2 bilhões, os empreendimentos estão a caminho de impulsionar ainda mais o setor de energia solar no Brasil. Essa expansão é parte de uma tendência crescente de investimentos em fontes de energia renovável, como a solar, que têm contribuído para o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio ambiente no país.

LEIA TAMBÉM:  Inauguração do complexo solar no Piauí pela companhia chinesa: Com potencial para abastecer 550 mil residências por ano
Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *