Milhas de alimentos são responsáveis ​​por uma quantidade doentia de emissões

Escrito por Bruno Teles

Primeiramente, podemos dizer que os supermercados e mercearias ao redor do planeta oferecem uma grande variedade de cores, sabores e alimentos para toda a população. Isso porque, independente da estação do ano, o que não falta são milhas de alimentos responsáveis por uma quantidade doentia de emissões.

Entretanto, essa variedade possui um custo real ao planeta. Neste sentido, um novo estudo apontou que as ‘milhas de alimentos’ representam 20% de todas as emissões de alimentos do mundo – o que é três vezes maior do que se pensava, especialmente comparado às décadas anteriores.

PARA VOCÊ:
Aliança para Acabar com Resíduos Plásticos — AEPW, anuncia o seu primeiro projeto no Brasil visando reciclar 30 mil toneladas de lixo plástico por mês

Posteriormente ,um dado ainda mais nefasto foi apresentado: os países de alta renda geram cerca de 46% de todas as milhas de alimentos do mundo, embora apenas 12% da população mundial esteja concentrada lá. Logo, tais países são os grandes responsáveis pelo efeito estufa que afeta o planeta.

emissões
Emissões (Reprodução: divulgação)

Como os alimentos estão aumentando o número de emissões?

Sendo assim, o estudo da Universidade de Sydney mostrou que, além da grande quantidade de dejetos, as milhas de alimentos afetam o planeta devido a grande emissão de CO2 e outros gases, afetando diretamente as mudanças climáticas e o aquecimento global.

PARA VOCÊ:
Teremos que lidar com os efeitos do aquecimento comprometido mesmo depois que as emissões forem reduzidas

Para chegar neste resultado, os pesquisadores utilizam a ferramenta Food Lab, que visa analisar a cadeia alimentar de 74 países e 37 setores econômicos. Sendo assim, diversos alimentos como frutas e vegetais foram analisados, além do setor pecuário e a produção de carvão.

Deste modo, os resultados não foram positivos. Isso porque os estudos apontaram que somente o transporte dos alimentos gera cerca de 3 gigatoneladas de emissões anualmente – cerca de 19% de todas as emissões relacionadas a alimentos no planeta.

Logo, eles também analisaram uma outra possibilidade: o que aconteceria se nós nos alimentássemos localmente? Bem, a realidade seria um pouco menos pior: uma redução de 0,27 gigatoneladas de emissões, e cerca de 0,11 giga toneladas de alimentos não seriam desperdiçados.

PARA VOCÊ:
Alerta - Poluição por plástico deverá triplicar nos próximos 40 anos, segundo cientistas

Entretanto, essa visão não parece realista, pois comer localmente pode ser difícil em muitos lugares, devido a região não poder cultivar a sua própria comida. Além disso, o consumo de alimentos acontece durante todo o ano, o que faz a cadeia alimentar global nunca parar.

Artigos relacionados