Gigante chinesa GWM investe bilhões em São Paulo com foco na produção de veículos híbridos e elétricos

Gigante chinesa GWM investe bilhões em São Paulo com foco na produção de veículos híbridos e elétricos Fonte: Folha - UOL

A chegada estratégica da GWM no Brasil com foco no promissor mercado de carros elétricos.

Publicidade

A GWM, famosa montadora multinacional chinesa, anunciou recentemente que está investindo pesadamente na expansão de suas operações no Brasil. Com a aquisição de uma fábrica anteriormente operada pela Daimler em Iracemápolis, São Paulo.

A montadora está investindo R$ 10 bilhões para estabelecer sua quarta base de produção global e a primeira na América Latina. Neste artigo, vamos explorar os planos da GWM para a indústria automobilística brasileira, enfatizando suas estratégias para veículos híbridos e elétricos.

Publicidade

Investimentos e preparação da nova fábrica

O investimento da GWM não se limita apenas à compra da fábrica. A empresa está concentrando recursos significativos em adaptações tanto de software quanto de sistema para tornar a instalação eficiente.

De acordo com Oswaldo Ramos, Chief Commercial Officer da GWM no Brasil, o planejamento da linha de montagem pelo antigo proprietário foi meticuloso, o que facilita a transição. A maior parte do investimento inicial está sendo direcionada para ajustes na armação da carroceria e na soldagem.

Publicidade

Primeiros modelos fabricados tem tecnologia Híbrida-Flex em foco

O primeiro lote de veículos da linha de montagem brasileira da GWM está previsto para maio de 2024, com ênfase em tecnologia híbrida-flex. Ramos indicou que essa tecnologia não será exclusiva para um único modelo de veículo, mas será implementada em diferentes linhas, incluindo picapes e SUVs.

LEIA TAMBÉM:  A segunda geração da Bateria Blade da BYD promete ultrapassar 1.000 km por carga

A GWM está considerando também a produção local do modelo 100% elétrico Ora 03. O CCO expressou que a produção local deste modelo será viável se ele alcançar um volume de vendas de 15.000 unidades por ano.

Publicidade

Inicialmente, alguns componentes serão de origem nacional, mas a maioria virá pronta do exterior, seguindo o esquema CKD (Completely Knocked Down). A escolha de Iracemápolis não foi aleatória; a proximidade com outras montadoras asiáticas como Toyota, Honda e Hyundai pesou na decisão. Isso facilitará o fornecimento de peças e a possível colaboração em tecnologias emergentes.

Futuro da mobilidade elétrica no Brasil

A GWM está otimista sobre o mercado de veículos elétricos e híbridos no Brasil. Ramos acredita que, com base em dados de outras regiões, quando os veículos elétricos plug-in alcançam uma participação de mercado de 4%, há uma inflexão significativa na curva de crescimento, que se torna exponencial. A expectativa é de que o Brasil alcance essa marca em um a dois anos.

O investimento bilionário da GWM em São Paulo não é apenas um voto de confiança na economia brasileira, mas também um impulso para a mobilidade sustentável no país.

Com estratégias bem elaboradas e um foco nítido em tecnologias híbridas e elétricas, a GWM está bem posicionada para ser uma força dominante no setor automobilístico brasileiro nos próximos anos.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *