Nova bicicleta elétrica Pi-Pop “Sem Bateria” utiliza Supercapacitores e mantém uma vida útil entre 10 e 15 anos

Nova bicicleta elétrica Pi-Pop Sem Bateria utiliza Supercapacitores e mantém uma vida útil entre 10 e 15 anos Fonte: Pi-Pop/Divulgação

A e-bike Pi-Pop possui armazenamento eletrostático e autonomia ampliada sem o uso de baterias de lítio

Publicidade

No cenário internacional da mobilidade elétrica, a França acaba de apresentar algo verdadeiramente revolucionário. Em vez das convencionais baterias de lítio, uma inovação é a aposta para as bicicletas elétricas, os supercapacitores. Adrien Lelièvre, notável especialista em eletrônica, é o nome por trás dessa descoberta, dando vida à Pi-Pop. uma e-bike que não possui bateria de lítio.

Supercapacitores: Uma alternativa ainda mais sustentável

O dilema das baterias tem sido uma dor de cabeça para muitos no setor de veículos elétricos. A produção consome recursos valiosos, como o lítio, e tem impactos ambientais associados. Aqui entra a vantagem dos supercapacitores da Pi-Pop: eles armazenam energia eletrostaticamente.

Publicidade

Quando a bicicleta está em movimento ou durante a frenagem, a energia é recolhida. Ao contrário das baterias tradicionais que dependem de reações químicas demoradas para carregar, os supercapacitores oferecem respostas mais rápidas, favorecendo o ciclista em manobras e subidas.

Supercapacitores é uma alternativa ainda mais sustentável
Capacitores (Fonte: TecMundo/Reprodução)

No entanto, esta tecnologia não é nova, pois os supercapacitores já são conhecidos desde meados dos anos 1970. Mas sua aplicação em bicicletas elétricas, combinada com a vantagem de serem feitos de materiais recicláveis, é uma inovação marcante.

Publicidade
LEIA TAMBÉM:  McLaren apresenta a e-bike mais potente e tecnológica do mercado com 600W de potência

Produção local em Orleans e a visão expansiva da Pi-Pop no mercado de bicicletas elétricas

Fabricada em Orleans, a Pi-Pop é um testemunho do compromisso de Lelièvre com a indústria eletrônica local. Ele acredita firmemente que o controle da produção é essencial para inovação genuína. Além disso, a produção local significa mais empregos, alinhando-se à visão de sustentabilidade de Lelièvre.

Atualmente, sua empresa, STEE, fabrica cem unidades da Pi-Pop por mês. Mas com a crescente demanda, eles visam ampliar esse número para mil bicicletas por mês até 2024. E quanto ao preço? Revelado em um evento em Paris, uma Pi-Pop será vendida por 2.450 euros, um valor considerado atrativo para o mercado europeu.

Publicidade

Com sua abordagem sustentável, tecnologia avançada e compromisso com a qualidade, a Pi-Pop não é apenas uma bicicleta elétrica, é uma manifestação da visão futura dos veículos elétricos. Ela promete ser um marco na história das e-bikes. E com a crescente necessidade de soluções ecológicas, pode-se esperar que mais inovações como esta surjam no futuro próximo.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *