Como a carne bovina cultivada em laboratório pode melhorar seu hábito de comer carne para o planeta

Escrito por Bruno Teles

Primeiramente, a ideia de carne bovina cultivada em laboratório não é uma novidade. Isso porque existe um grande debate sobre o seu sabor, sem contar os benefícios que ela pode ter para o meio ambiente. Atualmente, existe a expectativa de consumir carne sem a necessidade de matar animais.

Sendo assim, pode ser intrigante achar que para comer carne não é necessário várias vacas mortas. Afinal, esta carna viria de onde? Seria feita a partir de plantas? Dúvidas a parte, a carne bovina cultivada em laboratório pode ser uma ótima opção para combater as mudanças climáticas.

PARA VOCÊ:
Pesquisadores criam Gel capaz de obter água potável até mesmo no deserto

Neste sentido, segundo dados da Mosa Meat, será necessário apenas uma pequena amostra — cerca de 3 mm – para produzir mais de 70 mil hamburguerias. Em relação a uma vaca, você só consegue produzir 800 hambúrgueres de uma vez. É uma grande mudança para a humanidade.

carne bovina cultivada em laboratório
Carne bovina cultivada em laboratório (Reprodução: divulgação

A carne bovina cultivada em laboratório é uma boa opção para o planeta?

Primeiramente, uma amostra de sangue e material genético das vacas é coletada, sob efeito de anestesia, para a produção da carne bovina. Bem, podemos dizer que não é exatamente vegana, mas é uma opção eficiente e sustentável, diferente dos meios tradicionais.

PARA VOCÊ:
Quais são os 5 R's da reciclagem? Reduzir, Reaproveitar, Repensar, Recusar, Reciclar

Posteriormente, essa amostra é replicada em um ambiente natural das células, mas sem os componentes animais adicionais. Logo, com uma temperatura controlada e um ambiente rico em oxigênio, haverá um aumento do seu volume, o que gera tecido muscular e tecido adiposo.

Sendo assim, esse processo fornece uma carne bovina cultivada em laboratório com um sabor super similar à carne tradicional, porém sem o eventual trato dos dados das vacas. Para esse processo, cerca de 800 milhões de fios de tecidos são utilizados para criar a carne sintética. 

PARA VOCÊ:
Asfalto com borracha de pneu reciclada duplica sua durabilidade em regiões quentes

Inclusive, vale citar que a empresa informou que o processo não pé ilegal. Isso porque o crescimento celular sem modificação genética não é crime, logo, isso foi publicado em um artigo publicado pela Nature. Dessa forma, a pergunta que fica é: será que realmente valerá a pena essa nova experiência com carne?

Artigos relacionados