Esta será a primeira planta pré-industrial para a fabricação de baterias de íons de lítio para carros elétricos no Brasil

Esta será a primeira planta pré-industrial para a fabricação de baterias de íons de lítio para carros elétricos no Brasil Foto: Gelson Bampi/Sistema Fiep

O projeto visa trazer a produção de baterias de íons de lítio para um nível operacional, escalando de um ambiente de laboratório para um padrão industrial.

Publicidade

A indústria automotiva brasileira está se preparando para um salto revolucionário. O país está na véspera de viabilizar a primeira instalação pré-industrial dedicada à produção de baterias de íons de lítio para veículos elétricos. Isso é um marco significativo, pois estas baterias são um componente-chave na transição para a mobilidade sustentável. A planta de fabricação se situará no campus da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) em Curitiba, com a expectativa de que as primeiras baterias saiam de lá até 2026.

O Instituto Senai de inovação: Criando o Futuro Energético

O Instituto Senai de Inovação, parte do Sistema Fiep, está por trás deste projeto audacioso. Desde sua criação em 2018, o instituto tem se concentrado em desenvolver soluções inovadoras para tornar a indústria mais competitiva. Especificamente, uma das principais áreas de foco tem sido a eletroquímica, com uma ênfase particular na produção de baterias.

Publicidade
LEIA TAMBÉM:  A segunda geração da Bateria Blade da BYD promete ultrapassar 1.000 km por carga

O novo empreendimento é o próximo passo lógico para o instituto, com a nova instalação sendo equipada com a infraestrutura e os equipamentos industriais necessários para a produção de “lotes pioneiros” de baterias para carros elétricos. Estes lotes serão compostos por pequenas quantidades de baterias, cerca de 100 a 300, que serão produzidas para fins de teste e validação.

Projeto de fabricação de baterias para carros elétricos tem o apoio de pelo menos 20 indústrias estabelecidas no Brasil

O projeto visa trazer a produção de baterias de íons de lítio para um nível operacional, escalando de um ambiente de laboratório para um padrão industrial. Essa transição é classificada como Nível 7 na escala de Maturidade Tecnológica (Technology Readiness Level – TRL), o que significa que a tecnologia está quase pronta para ser implementada no mercado.

Publicidade

A iniciativa será financiada inicialmente pelo programa Rota 2030 do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). Além disso, o projeto tem o apoio de pelo menos 20 indústrias estabelecidas no Brasil, abrangendo setores desde a mineração até a automotiva, garantindo assim o desenvolvimento de uma cadeia de valor sustentável para o negócio.

Autossuficiência brasileira e potencial de investimento

A proposta para a nova instalação é usar materiais nacionais na produção de baterias, testar as células, montar os packs (conjunto de células que formam uma bateria), validar e homologá-los. A visão é que, uma vez que a planta esteja em funcionamento e demonstrando que o Brasil tem a capacidade de produzir baterias, seria apenas uma questão de tempo até que investimentos nacionais e internacionais sejam atraídos para a montagem de uma unidade de fabricação no país, eliminando a dependência de insumos estrangeiros.

Publicidade
LEIA TAMBÉM:  A segunda geração da Bateria Blade da BYD promete ultrapassar 1.000 km por carga

Uma vez iniciada a implementação da unidade, o instituto procederá com a especificação e compra dos equipamentos necessários para operacionalizar a planta, um processo que deve levar cerca de 2 anos.

Conclusão

A produção de baterias de íons de lítio no Brasil apresenta uma oportunidade sem precedentes para o país se posicionar como um player importante na indústria automotiva elétrica global. A capacidade de produzir baterias de íons de lítio internamente não só aumentará a competitividade da indústria automotiva do Brasil, mas também ajudará a reduzir sua dependência de importações. Com a crescente demanda global por veículos elétricos, o Brasil está se posicionando para desempenhar um papel importante nesta revolução energética.

Foto: Gelson Bampi/Sistema Fiep

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags:

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *