Mais Barata que a POP 110i, Honda tem novo modelo que faz mais de 46 km/l, conheça a Honda Navi

Mais Barata que a POP 110i, Honda tem novo modelo que faz mais de 46 km/l, conheça a Honda Navi Foto: Honda / Divulgação

A Honda Navi, uma moto compacta e econômica, amplia seu alcance global chegando à Argentina

Publicidade

Com um histórico de sucesso nos Estados Unidos, onde se tornou o modelo mais vendido da Honda, a Navi se destaca principalmente pelo seu preço competitivo, custando menos do que o popular modelo POP 110i.

A Navi, com seu design inspirado em scooters, oferece uma experiência de condução adaptada tanto para novatos quanto para motociclistas mais experientes. Seu assento, posicionado a uma altura de 765 mm do solo, torna-a acessível para uma ampla gama de usuários. O modelo também se destaca pelo seu peso leve, pesando apenas 101 kg.

Publicidade

O coração da Honda Navi é um motor monocilíndrico de 109 cm³, capaz de gerar uma potência de 8 cv a 7.000 rpm e um torque máximo de 0,9 kgf.m a 5.500 rpm. Este motor, aliado a uma transmissão automática, proporciona uma experiência de condução suave e sem complicações.

Um dos maiores atrativos da Navi é sua eficiência de combustível

Com um consumo médio de 46,7 km/l, ela se apresenta como uma opção extremamente econômica, ideal para o uso diário em ambientes urbanos.

Publicidade

A produção da Navi na Argentina é realizada na linha de montagem de Campana, com uma capacidade anual de 112 mil unidades. Apesar do sucesso em outros mercados e da produção próxima, ainda não há previsões para a chegada do modelo ao Brasil, principalmente devido às normas de emissões de poluentes mais rigorosas no país.

LEIA TAMBÉM:  A ferrugem desafia a promessa futurista da Cybertruck de Elon Musk, que enfrenta problemas de oxidação

A Honda Navi representa uma combinação de design prático, eficiência energética e preço acessível. Seu lançamento na Argentina é um passo estratégico da Honda, visando fortalecer sua presença na América Latina e oferecer uma opção atraente para o segmento de entrada no mercado de motocicletas.

Publicidade
Foto: Honda / Divulgação

Impacto Socioeconômico e Cultural das Motos Econômicas

As motos econômicas, cada vez mais populares, estão se tornando escolhas inteligentes para consumidores em meio ao aumento dos preços dos combustíveis. Esses veículos são ideais para deslocamentos diários nas cidades, oferecendo praticidade, economia e mobilidade eficiente para trabalho e estudo.

Além disso, os fabricantes estão focando em melhorar a eficiência energética dessas motos, tornando-as ainda mais atraentes para o público que busca economizar com combustível.

A escalada do uso profissional da motocicleta no Brasil é notável, especialmente com o crescimento do comércio online e a necessidade de entrega rápida. As motos tornaram-se essenciais para a entrega de uma variedade de produtos, desde alimentos até medicamentos.

Grandes corporações estão adotando frotas próprias de motocicletas para tarefas como leitura de consumo de energia em áreas rurais e distribuição de materiais de divulgação, otimizando custos e processos.

No aspecto cultural, as motos estão integradas de forma definitiva na sociedade brasileira, sendo ferramentas insubstituíveis em diversas atividades e um importante instrumento de geração de renda. Sua agilidade e eficiência em terrenos diversos e em situações de congestionamento as tornam ideais para uma variedade de serviços, desde emergências médicas até segurança pública.

LEIA TAMBÉM:  Contran explica as diretrizes para conduzir veículos elétricos e aumentar a segurança no trânsito depois da alta de acidentes envolvendo EVs

As motos econômicas, além de serem opções vantajosas em termos de consumo de combustível, representam um papel significativo na mobilidade urbana e na economia, contribuindo para um estilo de vida mais sustentável e eficiente.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | | |

Sobre o Autor

Ana Paula Araújo
Ana Paula Araújo

Ana Paula Araújo escreve no Cultura Ambiental nas Escolas sobre meio ambiente, sustentabilidade, energias renováveis e suas implicações, veículos elétricos e as principais novidades do setor.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *