Materiais recicláveis ​​podem resolver nossa crise de resíduos plásticos

Escrito por Bruno Teles

Primeiramente, podemos dizer que os resíduos plásticos podem ser considerados os maiores vilões do meio ambiente. Isso porque tais resíduos podem ser encontrados em oceanos, lagos, rios, aterros, ou poluindo o ar quando são queimados. Basicamente, os materiais recicláveis surgem como uma opção mais vantajosa para o nosso planeta.

Sendo assim, o plástico é um polímero, que é formado de longas cadeias de moléculas ligadas por ligações químicas. Neste sentido, podemos dizer que isso é a resposta para que eles durem tanto – cerca de 500 anos para se degradar – sem contar que possui uma reciclagem difícil de ser feita.

PARA VOCÊ:
Amigas se unem em prol do meio ambiente e criam ‘startup’ que desenvolve soluções para reduzir o lixo nas grandes cidades

Entretanto, a busca por materiais renováveis tem sido uma boa opção para lidar com os resíduos plásticos que existem no planeta. Neste sentido, uma solução encontrada é sobre as famosas garrafas PET, que podem ser trituradas e reaproveitadas para fazer novas garrafas, sem precisar de processos químicos complicados.

Materiais recicláveis
Materiais recicláveis (Reprodução: divulgação)

Como os materiais recicláveis podem ajudar o planeta?

Veja bem, apesar das consequências das garrafas PET, elas não são o único problema: o famoso PVC, que é muito utilizado para produzir canos e janelas, é tão ofensivo quanto as garrafas. Isso porque não é possível reciclá-lo, além de possuir cloreto de vinila, um composto tóxico que oferece risco de câncer.

PARA VOCÊ:
Aliança para Acabar com Resíduos Plásticos — AEPW, anuncia o seu primeiro projeto no Brasil visando reciclar 30 mil toneladas de lixo plástico por mês

Neste sentido, os materiais recicláveis surgem como uma boa opção para evitar riscos ambientais. Isso porque o ideal é encontrar reações que possam quebrar plásticos em moléculas, para utilizá-las. Assim, um estudo da Universidade da Califórnia mostrou que é possível fazer isso em laboratório.

Neste sentido, eles utilizam o polietileno para reciclar. Assim, com a nova técnica, ao utilizar um catalisador para quebrar os plásticos em moléculas menores, não é preciso utilizar baldes de calor, reaproveitando esse material em produtos farmacêuticos, tintas e detergentes.

PARA VOCÊ:
Equatorial Pará dá desconto na conta de energia através da reciclagem

Por fim, além de reaproveitar o plástico já existente, a ideia é projetar novos plásticos que sejam sejam tão repulsivos ao meio ambiente, que possuam uma vida útil de menor duração. Assim, além de ser uma boa nova opção, não precisaríamos nos preocupar tanto com materiais recicláveis para salvar o planeta.

Artigos relacionados