Multinacionais CSN e WEG investem em Grafeno para produção de aço sustentável e ultra-resistente

Multinacionais CSN e Weg investem em Grafeno para produção de aço sustentável e ultra-resistente Fonte: Reprodução/CSN

CSN e Weg planejam finalizar os testes industriais com o Grafeno até o final de 2023.

Publicidade

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e a Weg, uma referência na fabricação de equipamentos industriais, uniram forças para revolucionar o setor de aço através do grafeno. Essa parceria tecnológica já demonstrou eficácia em experimentos laboratoriais e agora avança para testes em escala industrial. As descobertas poderão resultar não apenas em aço mais resistente e durável, mas também em uma produção mais sustentável.

Grafeno: O nano material promissor em testes industriais

O grafeno já está mostrando seu potencial no laboratório, e o próximo passo é avaliar sua viabilidade em uma escala maior. CSN e Weg planejam concluir testes industriais até o final deste ano. O sucesso desses experimentos pode abrir portas para diversas oportunidades de negócio, incluindo a possibilidade de criar uma marca compartilhada.

Publicidade

As duas corporações mantêm um comitê conjunto para monitorar o progresso e considerar futuras aplicações para essa tecnologia revolucionária.

A colaboração, gerenciada pelas equipes da CSN Inova e Weg Tintas, poderia resultar em um aço revestido livre de cromo, um metal pesado e tóxico. Ao substituir o cromo pelo grafeno durante a produção da resina, o novo material não só seria mais seguro e ecológico, mas também mais resistente e durável.

Publicidade
LEIA TAMBÉM:  Hidrogênio Verde: O que é e qual sua importância

Impacto na indústria siderúrgica

O grafeno poderia significativamente melhorar a resistência do aço contra a corrosão, proporcionando benefícios de longo prazo tanto para os produtores quanto para os consumidores. Este avanço poderia, consequentemente, melhorar as margens de lucro da CSN, já que a durabilidade aprimorada do material pode justificar um preço de venda mais alto.

O novo aço à base de grafeno pode encontrar aplicações em múltiplos setores, incluindo automotivo, construção civil e produtos de linha branca. Felipe Spiri, responsável pela gestão de inovação e desenvolvimento de tecnologias na CSN Inova, sugere que o estado do Paraná poderia ser um mercado particularmente promissor.

Publicidade

Gerdau apresenta nova embalagem composta de grafeno

A Gerdau, outra player significativa na indústria siderúrgica do Brasil, também está explorando o potencial do grafeno, mas em um nicho diferente. A empresa redesenhou a embalagem de sua linha de pregos, incorporando o Poly-G, uma tecnologia G2D que usa grafeno disperso em polímeros.

Esta inovação traz melhorias notáveis na resistência e espessura da embalagem, enquanto diminui a pegada ambiental. O desenvolvimento dessa nova embalagem foi um esforço conjunto da Gerdau com a Gerdau Graphene, uma subsidiária focada em nanomateriais à base de carbono como o grafeno.

O resultado foi uma embalagem mais eficiente e eco-friendly que, além de melhorar o processo de empacotamento, também oferece informações interativas via QR Code, aprimorando a experiência do cliente.

LEIA TAMBÉM:  Hidrogênio Verde: O que é e qual sua importância
Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *