Brasil lidera ranking mundial entre os 10 países que mais desmataram suas florestas primárias em 2021

Escrito por Geovane Souza

Em 2021, quase metade da perda de florestas primárias do planeta ocorreu no Brasil. Os dados são da Global Forest Watch (GFW), plataforma que monitora as florestas do mundo. No ano passado, 1,5 milhão de hectares de florestas tropicais primárias foram perdidos no Brasil, representando 40% do total mundial. O nosso país está bem à frente do segundo lugar no ranking de perda florestal, a República Democrática do Congo, com 500.000 hectares.

A cada ano, a GFW realiza uma avaliação independente do estado das florestas do mundo no ano anterior. Os dados vêm de uma análise geoespacial desenvolvida na Universidade de Maryland para monitorar a cobertura florestal global, incêndios florestais e perda de florestas primárias tropicais.

PARA VOCÊ:
Catadores são responsáveis por 90% do lixo reciclado no Brasil

A atualização deste ano apresenta uma novidade sobre se a perda florestal é causada pelo fogo. No caso do Brasil, mesmo com a redução dos incêndios na Amazônia e no Pantanal em 2021, não houve mudança na tendência. Perdas não causadas por outros fatores, comumente associadas à expansão agrícola, aumentaram 9% entre 2020 e 2021

Os 10 países onde mais se perdeu florestas tropicais primárias em 2021, área de perda

Fonte: Global Forest Watch (GFW)

O Brasil tem cerca de um terço das florestas tropicais primárias remanescentes do mundo, e a taxa de perda de florestas primárias permaneceu acima de 1 milhão de hectares desde 2016, segundo a GFW.

PARA VOCÊ:
Gases de efeito estufa atingem nível visto há 5 milhões de anos

“A perda de florestas primárias no Brasil é particularmente preocupante por causa de novas evidências de que a floresta amazônica está perdendo sua resiliência e está mais perto de um ponto de inflexão do que se pensava anteriormente”, disse Fabíola Zerbini, diretora do Departamento de Silvicultura, Agricultura e Solos.

A distribuição das áreas de perda de floresta primária mostra que as áreas mais críticas estão se expandindo para além do arco de desmatamento. Muitos dos novos focos de perda de floresta primária nesses estados incluem desmatamento em larga escala ao longo de estradas, como a BR-319, possivelmente para a prática da pecuária.

No total, a GFW identificou a perda de 3,75 milhões de hectares de florestas tropicais primárias globalmente. Além do Brasil, a perda de florestas também é preocupante em países como Bolívia e República Democrática do Congo, que também registraram um aumento em relação a 2020. Por outro lado, a taxa de perda de florestas na Indonésia diminuiu pelo quinto ano consecutivo, isso mostra que as políticas públicas do governo indonésio e o compromisso do setor privado do país estão funcionando.

PARA VOCÊ:
Quais os principais efeitos do desmatamento para o planeta terra

Enquanto 96% do desmatamento permanente global ocorre nos trópicos, a GFW também analisou florestas boreais e temperadas e encontrou um aumento de 29% na perda das florestas por incêndios, especialmente na Sibéria, uma região onde as florestas são afetadas pela ameaça das mudanças climáticas.

Fonte: www.globalforestwatch.org
Artigos relacionados