Pesquisadores angolanos criam Biofiltro para fornecer água potável a comunidades carentes

Escrito por Geovane Souza

Uma equipe de pesquisadores do laboratório Química Verde, desenvolveu um biofiltro com o intuito de fornecer água potável à comunidades carentes de Luanda. Segundo a engenheira Yonara Tchissola, uma das responsáveis pelo projeto, o objetivo é ajudar a suprir a demanda de água potável nas comunidades de baixa renda, oferecendo um biofiltro que funciona de forma prática e sustentável.

Foto: Química Verde Lab | Reprodução/Facebook

Atualmente, estima-se que cerca de 1,6 bilhão de seres humanos não têm acesso a água potável no mundo, e Angola é o local que apresenta a maioria desses indivíduos. De acordo com estudos, cerca de 40% dos habitantes de angola não possui acesso a esse recurso, que é um dos principais direitos humanos.

PARA VOCÊ:
Carro voador elétrico da Embraer - Entenda o conceito por trás do eVTOL

Pensando nisso que, 5 pesquisadores do laboratório Química Verde, criaram o projeto Minha Água, minha Vida com o intuito de desenvolver o biofiltro.

Yonara Tchissola explicou que, o intuito do projeto é oferecer um produto que funcione como uma pequena estação de tratamento, transformando a água imprópria para beber em água potável. Os pesquisadores que incluem, engenheiros, técnicos de petroquímica, geofísicos, químicos e enfermeiros, disseram que o dispositivo é capaz de reter até 98% de impurezas da água.

Foto: Química Verde Lab | Reprodução/Facebook

Como é o funcionamento do Biofiltro desenvolvido em Angola

O biofiltro desenvolvido pelo Química Verde possui uma tecnologia simples de filtragem, não sendo necessário uso de energia elétrica ou bomba de pressão. Entretanto, o laboratório garante que ele é extremamente eficaz na eliminação de patógenos que causam doenças como cólera, febre tifoide, entre outras. Além disso, ele também remove partículas de poeira e outros materiais orgânicos, garantindo uma água limpa, incolor e inodora.

PARA VOCÊ:
Alunos criam casinhas de cachorro na escola e doam para abrigos necessitados
Foto: Química Verde Lab | Reprodução/Facebook

O laboratório já disponibilizou o biofiltro em algumas comunidades próximo a Luanda, e esses locais já contam com água potável para o consumo. No entanto, os pesquisadores continuam os estudos no intuito de possibilitar a sua disponibilidade em larga escala, para que esse projeto chegue a comunidades carentes do mundo todo.

Artigos relacionados