A regulação de mercado dos produtos denominados plant-based

Escrito por Bruno Teles

O que são alimentos plant-based? A dieta plant-based provém de uma filosofia de alimentação que tem como base o consumo de alimentos em sua forma mais pura, direto da natureza. Com isso, os adeptos a essa filosofia priorizam ingredientes frescos, minimamente processados. E zero industrializados!

Para aumentar a gama de produtos plant-based e tornar a adesão maior e mais fácil, muitas empresas desenvolveram alimentos que se assemelham em visual, textura e gosto aos industrializados. Mas sem base animal e sim de plantas.

Você já deve ter ouvido falar de carnes vegetais ou carnes feitas 100% de plantas. São alguns exemplos de alimentos processados de plant-based.

PARA VOCÊ:
Ferramenta de IA prevê perda de gelo no mar do Ártico causada pelas mudanças climáticas

Não só proteínas tiveram uma adaptação plant-based, outros produtos de origem animal também. Um deles tem estado nas estantes dos mercados brasileiros já há um bom tempo: o leite vegetal, feito a partir de soja, amêndoas, castanhas, coco e outras bases.

plant-based
Plant-based (Reprodução: divulgação)

A tecnologia tem sido grande aliada para o aumento da diversidade dos produtos plant-based. Alta tecnologia e processamento industrial vem sendo utilizados para dar às plantas sabores e texturas nunca imaginados.

Mas não se engane em pensar que essa mercadoria destina-se apenas aos vegetarianos e veganos. O interesse se estende a intolerantes ou alérgicos a lactose e pessoas que buscam uma alimentação mais saudável.

PARA VOCÊ:
Brasil está entre os 5 países do mundo com natureza intocada

Contudo, apesar do mercado de produtos à base de plantas estar em uma constante alta, no Brasil não há ainda um marco legal para esses itens. E, para que o país possa entrar no mercado e tornar-se uma referência no ramo, é necessário regulamentar seus processos.

Imperdível: Como a tecnologia pode contribuir para a sustentabilidade

Importância da regulação de produtos plant-based:

  • Expansão do mercado interno e externo brasileiro de plant-based;
  • Padrão de referência às indústrias;
  • Facilitar a nomenclatura dos produtos;
  • Maior segurança alimentar;
  • Melhorias na tributação e subsídios, equiparando-os a outros produtos;
  • Facilitar a competitividade de mercado.
PARA VOCÊ:
Airbus testa o primeiro avião movido a hidrogênio

A regulação de produtos plant-based vem sendo discutida no Brasil pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Anvisa. Porém, o projeto de lei segue parado desde 2018 sem votação, com expectativa de finalização apenas em 2023.

Confira a PL n.º 10.556/2018. 

Artigos relacionados