Startup de sustentabilidade alemã anuncia plano de US$ 4 bilhões para transformar resíduos em hidrogênio verde

Escrito por Bruno Teles

Primeiramente, sabemos que existem muitos casos de ônibus, aeronaves, trens, navios e diversos outros veículos que utilizam hidrogênio para se locomover. Neste sentido, uma novidade lançada por uma startup de sustentabilidade alemão pode ser a solução para renovar esse tipo de combustível.

Em geral, podemos dizer que o hidrogênio é uma substância verde, similar a eletricidade verde. Sendo assim, embora haja um grande consumo dele, a produção tem como base fontes de energia fóssil, como o petróleo. Logo, esse processo pode não ser benéfico para o meio ambiente.

Neste sentido, uma startup de sustentabilidade alemã buscou uma alternativa que converte resíduos de hidrogênio verde, sendo possível criar mais energia. Dessa forma, além de reaproveitar os materiais, ainda haverá uma diminuição da produção de hidrogênio verde puro, o que é uma boa notícia para o planeta.

PARA VOCÊ:
"Pee Cycling" usa urina humana para superar problemas de sustentabilidade e cadeia de suprimentos de fertilizantes

Desse modo, podemos dizer que os fornecedores de energia extraem o hidrogênio da água a partir de reações químicas. Embora não seja novidade, o processo utiliza uma abundância de energia e, caso não haja a presença de energias renováveis, esse processo gera diversas emissões de gases nocivos.

Startup de sustentabilidade
Startup de sustentabilidade (Reprodução: divulgação)

Como uma startup de sustentabilidade pode mudar o mundo

Nos últimos dias, a empresa alemã de armazenamento de energia, a H2-Industries, anunciou a sua primeira instalação de resíduos de hidrogênio no Cairo, Egito. Assim, ela promove o primeiro projeto desse tipo no mundo, vanguardista na conservação do meio ambiente a partir de reaproveitamento.

PARA VOCÊ:
Moda sustentável: como reduzir o custo ambiental de suas roupas

Sendo assim, a empresa está sita na Zona Econômica do Canal de Suez, e vem utilizando diversos resíduos orgânicos de modo a produzir hidrogênio utilizável. Logo, estes resíduos incluem plástico, lodo de esgoto, resíduos agrícolas e de obras.

Para ter sucesso na empreitada, a empresa irá transferir o hidrogênio para um “fluido transportador”. Assim, o hidrogênio será levado para encher tanques de armazenamento como o diesel, mas, diferente desse tipo de combustível, não haverá grandes emissões de carbono.

Posteriormente, os fornecedores de energia utilizarão o calor residual do processo da H2-Industries para gerar energia, em geradores a vapor e turbinas. Segundo a startup de sustentabilidade, a intenção é produzir cerca de 300 mil toneladas de hidrogênio verde por lá.

PARA VOCÊ:
Sensoriamento remoto ajuda a rastrear armazenamento de carbono em manguezais

Além disso, o Projeto do Canal de Suez ainda será econômico. Isso porque será possível produzir hidrogênio verde pela metade do preço das tecnologias atuais. Além disso, ainda é possível obter diesel sintético de baixo custo, do Diesel, sendo uma boa oportunidade para salvar o planeta de forma fácil e prática.

Artigos relacionados