Sistema de refrigeração revolucionário promete REDUZIR os gases do efeito estufa, ao invés de aumentá-los

Sistema de refrigeração revolucionário promete REDUZIR os gases do efeito estufa, ao invés de aumentá-los Fonte: Hindustan Times / Reprodução

Com a promessa de um futuro mais limpo e seguro, pesquisadores apresentam uma técnica pioneira, conhecida como Sistema de refrigeração ionocalórico.

Publicidade

Uma novidade extraordinária está chamando a atenção no campo da sustentabilidade, um novo sistema de refrigeração inovador que pode ter um impacto significativo na redução de emissões de gases de efeito estufa. Essa descoberta pode contribuir significativamente para a diminuição do dióxido de carbono na atmosfera, promovendo uma abordagem mais verde para a refrigeração.

Entenda como funciona os Sistemas de Refrigeração atuais

Os sistemas de refrigeração atuais operam transferindo calor de um local para outro através de um gás que se resfria à medida que se expande. No entanto, muitos desses gases refrigerantes podem ser altamente danosos ao meio ambiente, acelerando o fenômeno do aquecimento global e potencializando as mudanças climáticas. Estes incluem hidrofluorcarbonos (HFCs), substâncias reconhecidamente prejudiciais ao nosso planeta.

Publicidade

Novo sistema de refrigeração usa o Resfriamento Ionocalórico

Com a promessa de um futuro mais limpo e seguro, pesquisadores apresentam uma técnica pioneira, conhecida como resfriamento ionocalórico. A técnica, concebida por pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley e da Universidade da Califórnia, Berkeley, emprega a energia liberada ou absorvida por uma substância durante uma mudança de fase.

LEIA TAMBÉM:  Hidrogênio Verde: O que é e qual sua importância

Considere, por exemplo, a transformação do gelo em água. O gelo se transforma em água ao absorver calor do ambiente, resfriando-o simultaneamente. Se adicionarmos sal a esse processo, ele liberará íons que irão reduzir o ponto de solidificação, permitindo que o gelo derreta sem a necessidade de absorver calor adicional do ambiente. No sistema de refrigeração ionocalórico, utiliza-se um sal para fundir um fluido específico, resfriando o ambiente circundante.

Publicidade

Uma corrente elétrica percorre o sistema constituído por sal e fluido, movendo os íons presentes, alterando o ponto de solidificação e provocando mudanças de temperatura sem a necessidade de adição de calor.

Reduzindo gases de efeito estufa: O impacto do sistema de refrigeração Ionocalórico

Em um dos experimentos conduzidos, a equipe usou um sal de iodo e sódio para derreter o carbonato de etileno, um solvente orgânico derivado do dióxido de carbono. Assim, o novo sistema de refrigeração ionocalórico, além de ser ecologicamente correto, também pode contribuir para a redução dos gases de efeito estufa na atmosfera.

Publicidade

Este experimento provou ser mais eficaz do que outras tecnologias de refrigeração existentes. A inovação do sistema de refrigeração ionocalórico pode ajudar a diminuir a produção e o consumo de HFCs, desempenhando um papel crucial no esforço global para reduzir a emissão desses poluentes.

Os pesquisadores agora aspiram a aplicar este novo sistema de refrigeração além dos laboratórios, introduzindo-o no mercado comercial, onde pode ser utilizado tanto para resfriamento quanto para aquecimento. Essa tecnologia promissora tem o potencial de revolucionar a refrigeração, tornando-a mais amigável ao meio ambiente e, ao mesmo tempo, eficiente.

LEIA TAMBÉM:  Hidrogênio Verde: O que é e qual sua importância

Perguntas Frequentes

1. O que é o novo sistema de refrigeração que pode reduzir emissões de gases poluentes?

R: É uma técnica pioneira chamada resfriamento ionocalórico. O método foi desenvolvido por pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley e da Universidade da Califórnia, Berkeley, e utiliza a energia liberada ou absorvida por uma substância durante uma mudança de fase para resfriar o ambiente.

2. Como o sistema de refrigeração atual contribui para o aquecimento global?

R: Os sistemas de refrigeração convencionais operam por meio de um gás que se resfria à medida que se expande, removendo calor do ambiente. Muitos desses gases refrigerantes, como os hidrofluorcarbonos (HFCs), são prejudiciais ao meio ambiente e contribuem para o aquecimento global e as mudanças climáticas.

3. O que faz o resfriamento ionocalórico ser diferente?

R: O resfriamento ionocalórico utiliza sal para derreter um fluido específico, resultando em resfriamento do ambiente circundante. Uma corrente elétrica passa pelo sistema, movendo os íons e alterando o ponto de solidificação, o que resulta em mudanças de temperatura sem a necessidade de adição de calor.

4. De que maneira o sistema de refrigeração ionocalórico pode reduzir a emissão de gases de efeito estufa?

R: Em um dos experimentos, os pesquisadores usaram um sal para derreter o carbonato de etileno, um solvente orgânico derivado do dióxido de carbono. Dessa forma, além de não liberar gases poluentes, o sistema pode contribuir para a redução dos gases de efeito estufa na atmosfera.

5. O sistema de refrigeração ionocalórico já está disponível comercialmente?

R: Ainda não. Por enquanto, o sistema foi testado apenas em laboratório, mas os pesquisadores têm a intenção de levar a tecnologia para o mercado comercial, onde pode ser usada tanto para resfriamento quanto para aquecimento.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | |

Sobre o Autor

Geovane Souza
Geovane Souza

Geovane Souza é Jornalista e especialista em criação de conteúdo na internet, ações de SEO e marketing digital. Nas horas vagas é Universitário de Sistemas de Informação no IFBA Campus de Vitória da Conquista.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *