Piscina de aquecimento sistemático é descoberta no Pacífico — e isso aconteceu por conta dos humanos

Escrito por Bruno Teles

Nos últimos dias, um estudo divulgado pela revista Communications Earth and Environment informou que o aquecimento sistemático no Pacífico não é resultante das variações climáticas naturais, mas de ações humanas cotidianas. Todas as informações foram dadas pelo cientista Dr. Armineh Barkhorarian.

Sendo assim, foi informado que essa piscina de aquecimento tende a aumentar a temperatura da água nos próximos anos, aumentando a intensidade e frequência das ondas de calor marinhas locais.  Neste sentido, o estudo aponta que o aumento da temperatura média da água está chegando no limite.

PARA VOCÊ:
Nova bateria da Nissan e NASA promete "mudar o jogo" nos carros elétricos

Nesta perspectiva, a equipe de Barkhor Marian mostrou como a piscina de aquecimento resultou em ondas de calor marinhas no passado. Uma das consequências desse fenômeno é a “Bolha do Oceano Pacífico”, que trouxe consequências devastadoras para os EUA entre 2014 e 2015.

aquecimento sistemático
Aquecimento sistemático (Reprodução: divulgação)

Como a piscina de aquecimento sistemático pode impactar o planeta?

Entre 2019 e 2021, a onda de calor marinha continuou o seu ciclo e trouxe diversos problemas para a humanidade. Isso porque ela produziu temperaturas de água cerca de 6 vezes acima da média. Assim, a pesquisa concluiu que o aumento dessas emissões antropogênicas de gases de efeito estufa está ligada ao evento.

PARA VOCÊ:
De volta para o futuro - DeLorean EV completamente elétrico é revelado e possui 4 lugares

Neste sentido, outra coisa foi informada: a possibilidade da onda de calor surgir sem influência humana é de apenas 1%. Além disso, constatou-se que há uma probabilidade de 99% de que as emissões de gases de efeito estufa também tenham acontecido por conta das influências humanas.

Ademais, também foi possível verificar que a temperatura da água na piscina de aquecimento no nordeste do Pacífico aumentou cerca de 0,5 °C, em pelo menos 25 anos. Como consequência, a região esfriou menos no inverno, enquanto o verão teve um acréscimo de 37 dias, uma verdadeira onda de calor.

PARA VOCÊ:
Produtora internacional de energia renovável, Atlas Renewable Energy, adquire o seu primeiro projeto de energia eólica no Brasil 

Como resultado dessa catástrofe, somente nos últimos 20 anos houve 32 ondas de calor marinhas somente na região dos EUA, em comparação ao período entre 1982 e 1999. Portanto, podemos dizer que a descoberta é um grande alerta sobre como as mudanças climáticas estão nos afetando.

Artigos relacionados