Pousadas do Paraná se comprometem com o meio ambiente e recebem SELO VERDE

Escrito por Valdemar Medeiros

Na Ilha do Mel, localizada na embocadura da Baía de Paranaguá, em Paranaguá, litoral do Paraná, 6 pousadas foram premiadas nesta semana com o Selo Verde, uma certificação ambiental que foi criada para reconhecer empresas que se dediquem a coleta seletiva, recolhendo o lixo de maneira correta.

Essa iniciativa foi tomada em conjunto, pelos Portos do Paraná, Prefeitura de Paranaguá e pelos moradores da região, com o intuito de preservar o meio ambiente e as belezas naturais da Ilha do Mel, um dos destinos paranaenses mais procurados por turistas.

Pousadas da Ilha do Mel, no litoral do Paraná, recebem Selo Verde

As primeiras pousadas a receberem o selo verde foram: Pousada do Chicão, Recanto das Cores, Ulu Kainoa, Fim da Trilha, Morada das Flores e Bob Pai e Bob Filho. Após uma série de vistorias realizadas em março, o selo verde foi entregue às pousadas, cujos donos atestaram que seus estabelecimentos são equipados com lixeira acessível aos coletores, sem que seja acessível a animais, além de serem lixeiras com as categorias distintas e receberam a visita do Projeto Compostar para Cultivar, para aprender sobre os benefícios da compostagem.

PARA VOCÊ:
Por que o planeta está no negativo

De acordo com o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Santana, essa ideia surgiu por sugestão dos próprios moradores da região, após uma oficina realizada regularmente na Ilha, foi conversado sobre uma forma de desenvolver um projeto para mostrar aos comerciantes e moradores como fazerem a separação dos resíduos e reciclagem de tudo o que fosse possível.

Além das pousadas mencionadas aqui, outros dez estabelecimentos já informaram que têm interesse em participar do projeto e a expectativa é que cerca de 70% delas consigam se adaptar para receber o selo verde. O diretor informou que restaurantes e lanchonetes também podem se inscrever para participar do projeto.

Relatos de moradores e donos de pousadas da Ilha do Mel

Alguns moradores e donos de pousadas da Ilha do Mel falaram sobre o projeto. A moradora da Ilha e participante da iniciativa, Kaiana Luisse Bueno, relatou que o selo verde dá muito mais visibilidade às pousadas, que fazem corretamente o gerenciamento do lixo residual, ajudando a diminuir a quantidade de lixo que vai para os aterros sanitários.

PARA VOCÊ:
Surpresa! Latas de cerveja são menos poluentes do que garrafas de vidro

Já Carla Simone Felippe, proprietária da pousada Recanto das Cores, foi a primeira a inscrever seu estabelecimento na iniciativa, e também foi a primeira a receber o Selo Verde. A mesma destacou que este é apenas o começo para melhorar e cuidar cada vez mais do meio ambiente. A dona da pousada Bob Pai Bob Filho, Sheron de Fátima, falou que acredita que o selo verde também ajudará na atração de hóspedes.

Imperdível: Cientistas mantêm computador ligado por um ano com energia de algas

O técnico agrícola Francisco Martins de Almeida, proprietário da pousada do Chicão, destacou a importância do selo verde, e disse que todos estão pensando em um jeito de melhorar e preservar o meio ambiente e afirmou que o selo verde é um estímulo para todos.

PARA VOCÊ:
Montes de escória da siderurgia podem absorver CO2 e combater as mudanças climáticas

O empresário Pedro Andris, da Pousada Ulu Kainoa, reafirmou o compromisso com o meio ambiente, falando sobre o trabalho local de compostagem, separação do lixo, reciclagem e sempre dando orientação aos hóspedes.

Como pousadas e demais estabelecimentos do Paraná poderão participar da iniciativa?

Moradores, donos de pousadas e demais interessados em receber o Selo Verde devem fazer a inscrição para serem avaliados e, se for positiva, receberem a certificação, que vale por um ano.

No primeiro período são exigidos três critérios básicos, sendo: possuir lixeira ou local adequado para descarte dos resíduos, dentro das imediações do terreno, acessível aos coletores e inacessível aos animais, separar os resíduos corretamente nas devidas categorias e acondicionar nos sacos indicados, preto para não recicláveis, azul para reciclável, ráfia para enormes quantidades de garrafas de vidro, saco preto e ráfia para grandes quantidades de restos de comida, e por fim, ter recebido a visita do Projeto Compostar para Cultivar.

Artigos relacionados