Sustentabilidade na construção civil; Conheça o tijolo feito do bagaço da cana-de-açúcar

Sustentabilidade na construção; Conheça o tijolo feito do bagaço da cana-de-açúcar Foto: Olhar Digital / Reprodução
Publicidade

Na busca contínua por alternativas sustentáveis na construção civil, a cana-de-açúcar se destaca como um recurso inovador. Pesquisadores da Universidade de East London, em colaboração com Tate & Lyle Sugars e o estúdio de design Grimshaw, desenvolveram o Sugarcrete, um tijolo feito do bagaço da cana-de-açúcar.

O Sugarcrete é uma solução construtiva que traz diversos benefícios. Este material é não apenas resistente como o concreto tradicional, mas também se destaca por ser muito mais leve, tendo um peso de apenas um quarto a um quinto dos blocos de concreto convencionais.

Publicidade

Além disso, o tempo de cura do Sugarcrete é significativamente menor, reduzindo o período de construção. O material é mais econômico, especialmente em regiões produtoras de cana-de-açúcar, e apresenta uma pegada de carbono drasticamente reduzida, com apenas 15% a 20% daquela associada ao concreto tradicional.

A produção de Sugarcrete, se substituir completamente a indústria tradicional de tijolos, poderia resultar em uma redução significativa nas emissões de CO2, correspondendo a cerca de 3% da produção global de gás carbônico.

Publicidade

O Sugarcrete não apenas contribui para a sustentabilidade ambiental, mas também tem o potencial de gerar um impacto socioeconômico positivo

Há um esforço contínuo para formar parcerias com agricultores, especialmente em países do Sul Global, visando não apenas a expansão da comercialização dos tijolos de cana, mas também o fortalecimento das economias locais e a promoção de práticas de construção sustentáveis em escala global.

A equipe de desenvolvimento do Sugarcrete, em parceria com a Grimshaw, adotou uma abordagem inovadora, integrando conceitos de geometrias entrelaçadas para explorar novas possibilidades de aplicação do produto.

Publicidade
LEIA TAMBÉM:  Emissões de CO2 relacionadas à geração de energia batem recorde em 2023, apesar do avanço das energias limpas

O uso de sistemas de intertravamento permite a construção de estruturas de grande porte usando pequenos componentes, sem a necessidade de argamassa. Este método supera os desafios dos conjuntos monolíticos tradicionais e contribui para a eficiência na construção e na sustentabilidade do projeto.

O Sugarcrete é um exemplo inspirador de como inovações sustentáveis podem transformar a indústria da construção civil. Ele demonstra o potencial do uso de materiais ecológicos não apenas para a proteção do meio ambiente, mas também para a melhoria das práticas de construção e para o desenvolvimento socioeconômico em regiões produtoras de cana-de-açúcar. Este material inovador abre portas para uma nova era na construção civil global, combinando sustentabilidade, eficiência e responsabilidade social.

O impacto ambiental e a sustentabilidade do tijolo de bagaço de cana-de-açúcar

Ao analisar o ciclo de vida de materiais de construção sustentáveis, como o tijolo de bagaço de cana-de-açúcar, diversos fatores são considerados para avaliar seu impacto ambiental desde a obtenção da matéria-prima até o fim da vida útil do produto.

Esta análise é fundamental para entender o verdadeiro custo ambiental de um material de construção e inclui várias etapas: a produção dos materiais, o transporte, a fase de construção, o uso, a manutenção, e, finalmente, o descarte ou reciclagem. Cada uma dessas etapas pode ter um impacto significativo no meio ambiente, e entender esses impactos pode ajudar a fazer escolhas mais sustentáveis na construção civil.

Por exemplo, na produção do tijolo de bagaço de cana, é importante considerar não apenas o uso de um resíduo agrícola, mas também a energia necessária para processar esse material e a emissão de gases do efeito estufa durante esse processo.

LEIA TAMBÉM:  Emissões de CO2 relacionadas à geração de energia batem recorde em 2023, apesar do avanço das energias limpas

Durante a fase de construção, a facilidade de uso e a eficiência do material em termos de tempo e recursos são fatores importantes. Na fase de uso, considera-se a durabilidade do material e seu impacto no isolamento térmico e acústico do edifício. Por fim, ao final da vida útil do edifício, é crucial avaliar as possibilidades de reciclagem ou reutilização do material, bem como seu impacto no descarte.

No contexto da redução de resíduos agrícolas, o uso do bagaço de cana-de-açúcar na fabricação de tijolos representa uma oportunidade significativa de transformar um subproduto da indústria do açúcar e etanol em um recurso valioso para a construção civil.

Isso não apenas ajuda na gestão de resíduos, evitando que grandes quantidades de bagaço sejam descartadas ou queimadas, mas também contribui para a economia circular, na qual os resíduos são reintegrados como recursos úteis.

Esta abordagem, portanto, oferece benefícios ambientais, como a redução da poluição e a conservação dos recursos naturais, e benefícios econômicos, ao criar um novo mercado para um subproduto antes considerado sem valor.

Além disso, a adoção de materiais sustentáveis como o tijolo feito do bagaço da cana-de-açúcar pode ser um passo importante para a indústria da construção civil em direção à sustentabilidade e à redução do impacto ambiental.

Siga-nos no Google News

Publicidade

Tags: | |

Sobre o Autor

Ana Paula Araújo
Ana Paula Araújo

Ana Paula Araújo escreve no Cultura Ambiental nas Escolas sobre meio ambiente, sustentabilidade, energias renováveis e suas implicações, veículos elétricos e as principais novidades do setor.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *