Ferramenta de IA prevê perda de gelo no mar do Ártico causada pelas mudanças climáticas

Escrito por Bruno Teles

Nos últimos dias, uma pesquisa realizada pela British Antarctic Survey (BAS) em conjunto com a Alan Turing Institute, apontou que uma ferramenta de IA contemporânea pode ajudar na preservação dos ecossistemas globais, especialmente os mais afetados pelo aquecimento global.

Assim, isso quer dizer que o Ártico será o maior beneficiado. Afinal, as calotas de gelo estão derretendo em tempo recorde, sendo necessária proteção para preservar o clima e a biodiversidade local. Dessa forma, a invenção atiçou o meio científico, que vê uma oportunidade de combater as mudanças climáticas.

Sendo assim, o sistema — que foi batizado de IceNet — foi desenvolvido a fim de três aprendizados profundo, especialmente por ser inventado em condições climáticas especiais. Além disso, ele também consegue analisar dados sobre derretimento de gelo e outras alterações no clima global.

PARA VOCÊ:
Falcão-peregrino robótico pode assustar pássaros dos campos de cultivo
Ferramenta de IA
Ferramenta de IA (Reprodução: divulgação)

Como a ferramenta de IA pode ajudar no combate ao aquecimento global?

Dessa forma, o IceNet consegue fazer simulações climáticas e prever os dados sobre o clima no planeta nos próximos seis meses, tudo isso baseado em mapas de concentração de gelo marinho. Assim, ficará mais fácil identificar em quais regiões o gelo está derretendo mais rápido.

Posteriormente, nos testes iniciais, houve uma precisão de cerca de 95% sobre a condição do gelo marinho, em comparação a dois meses antes. Isso porque o IceNet apontou que o Ártico aqueceu cerca de 3 vezes mais que a média global.

PARA VOCÊ:
Nova biobateria para armazenamento de hidrogênio está sendo desenvolvida por cientistas

Neste sentido, apontou-se que o gelo marinho está desaparecendo aos poucos.

Dessa forma, a ferramenta de IA poderá frear o impacto ambiental que as mudanças climáticas estão trazendo à vida selvagem e à população global. Assim, além de analisar dados recentes, ele também pode observar dados futuros, adaptando os relatórios a ações de preservação do Ártico.

Sendo assim, a ferramenta de IA está em constante avanço e precisão. Os cientistas informaram que a novidade também terá uma versão online, onde será possível ver as resoluções climáticas globais de forma diária, o que pode melhorar o desempenho das suas funções a curto prazo.

PARA VOCÊ:
Gases de efeito estufa atingem nível visto há 5 milhões de anos

Por fim, podemos dizer que a novidade é um caminho para o combate das mudanças climáticas. Isso porque consegui ver onde está o centro do problema é um grande passo para impedir o aquecimento global. Pode não ser a solução definitiva, mas é um grande avanço para as geleiras do Ártico.

Artigos relacionados