O setor de transporte não está fazendo o suficiente para deter as mudanças climáticas

Escrito por Bruno Teles

Atualmente, a busca para deter as mudanças climáticas é pauta em todo o planeta. Mas, apesar dos nossos esforços, a direção que estamos tomando não é a melhor. Isso porque a Agência Internacional de Energia (AIE) divulgou um relatório apontando os rumos do combate ao aquecimento global.

Segundo ela, as promessas feitas para redução de carbono no planeta não estão sendo cumpridas, ademais, ainda o aumento da temperatura global em mais de 1,5 °C desestimula o processo, sem contar que está abaixo do esperado pelas nações. Basicamente, estamos sentindo efeitos negativos com tudo isso.

Neste sentido, não é uma surpresa que o setor de transporte global seja um dos pilares mais o aumento do aquecimento global. Isso porque a dependência de combustíveis fósseis corresponde a mais de 37% das emissões de carbono no planeta. Assim, fica difícil deter as mudanças climáticas.

PARA VOCÊ:
Surpresa! Latas de cerveja são menos poluentes do que garrafas de vidro
mudanças climáticas
Mudanças climáticas (Reprodução: divulgação)

Como os transportes impedem a humanidade de deter as mudanças climáticas?

De modo a encontrar soluções para o aquecimento global, a AIE determinou dois cenários sobre o efeito do aquecimento global. Isso aponta que os governos e nações devem ter ações mais ambiciosas se desejam deter as mudanças climáticas. Segundo eles, os dois cenários são:

  • Cenário de Compromissos Anunciado (APS, na sigla em inglês)

Por aqui, os compromissos climáticos devem ser assumidos e controlados pelos governos do mundo inteiro. Neste sentido, todas as promessas e planos de ações devem ser cumpridos no prazo, a fim de deter as mudanças climáticas que o planeta está passando.

  • Cenário de Emissões Zero Líquidas (NZE, na sigla em inglês)
PARA VOCÊ:
98,7% das latas de alumínio foram recicladas em 2021 no Brasil

Por aqui, uma meta mais ambiciosa: as nações devem adotar um plano, um pouco difícil de realizar, que busca diminuir o alcance de CO2 no planeta até 2050.. Sendo assim, essas emissões devem ser zeradas, a partir de um plano de atuação global contra as mudanças climáticas.

Além disso, ela também informou que até 2030 os transportes irão emitir 2,5 gigatoneladas de carbono ao planeta. Logo, para promover o desenvolvimento sustentável dos transportes e deter as mudanças climáticas, será necessário frear essa produção em até 3 décadas.

PARA VOCÊ:
Militares dos EUA querem construir recifes falsos para proteger bases de tempestades

Como resultado das ações, é esperado que as demandas de energia de transporte sejam de até 24% até 2030.. Ademais, ainda é esperado que haja uma redução de combustíveis fósseis, renovando as energias dos transportes com combustíveis limpos, que não gerem tanto CO₂.

Por fim, a expectativa é que, até 2050, o planeta tenha um aumento de apenas 1,5 °C na sua temperatura. Logo, além de limitar os graves impactos ambientais, o planeta ainda ficará mais sensível a combustíveis limpos e geram menos danos. É tudo o que podemos fazer para frear esse caminho sem volta.

Artigos relacionados