11 milhões de hectares de árvores foram derrubadas em 2021 no mundo

Escrito por Geovane Souza

O desmatamento global de árvores em 2021 representou cerca de 11 milhões de hectares de área total. Os dados foram divulgados em um relatório publicado pela Global Forest Watch. Ainda de acordo com o relatório, a perda de árvores se dar principalmente pelo crescimento da necessidade de comida e energia pela população mundial.

A maior parte das árvores perdidas ficam em florestas tropicais, como é o caso da Floresta amazônica. No brasil, o desmatamento foi de cerca de um milhão de hectares , representando 40% de todo o desmatamento global.

PARA VOCÊ:
Quais os principais efeitos do desmatamento para o planeta terra
A derrubada de árvores libera CO2 na atmosfera e agrava o aquecimento global

Além do Brasil, a República Democrática do Congo foi o país que mais desmatou suas árvores, no total foram 499 mil hectares de floresta, quase metade do desmatamento florestal brasileiro. Os dois países encabeçam a lista de nações que mais perderam suas florestas primárias no mundo em 2021.

A derrubada de árvores libera CO2 na atmosfera e agrava o aquecimento global

A Floresta Amazônica e o Pantanal são os locais onde mais ocorrem desmatamentos no Brasil. Segundo estudos, isso acontece principalmente pelo avanço da agropecuária. O desmatamento dessas áreas e as queimadas, são, na grande maioria das vezes causados pela mão humana, são responsáveis pela libração de milhões de toneladas de Gás Carbônico na atmosfera. O CO2 é principal causador do efeito estufa, que agrava os problemas do aquecimentos global.

PARA VOCÊ:
Como combater o desmatamento das nossas florestas

Além de países com florestas tropicais com o Brasil, países como a Rússia, que possui florestas boreais, também perderam grande parte de suas árvores. De acordo com o relatório, a Rússia perdeu cerca de 6 milhões de hectares de florestas em 2021. No entanto, a preocupação maior ainda é com as florestas tropicais, por que estas representam 96% do desmatamento global.

De acordo com um estudo divulgado pela Universidade de Maryland, ainda há um longo caminho pela frente no intuito de frear o desmatamento global. Os dados de 2021 se manteve iguais ou aproximados aos de 2019 e 2020, ou seja, segundo o estudo, quase não houve redução no número de árvores derrubadas no mundo.

PARA VOCÊ:
Estudo aponta que 48% de todas as espécies de aves do planeta tiveram redução populacional
Artigos relacionados